Mercado Financeiro

Educação financeira deve começar na infância

2 de agosto de 2023

Edição 1

Muitos adultos têm dificuldade de lidar com dinheiro e isso, muitas vezes, é fruto da ausência de uma educação financeira desde a infância que crie o sentimento de pertencimento para que os pequenos cresçam com conhecimento sobre operações simples de planejar gastos, poupar para comprar algo no futuro ou mesmo operar com o dinheiro no dia a dia.

A consciência de que recursos financeiros são finitos é a primeira lição que as crianças precisam aprender lidando com o dinheiro, segundo Rodrigo Rocha, profissional com certificação CFP (Certified Financial Planner) da Sisprime do Brasil. “A sugestão é que as crianças, a partir de 7 anos, já recebam um valor semanal para administrar. Os pais devem realizar um planejamento com os pequenos baseado no recurso que for disponibilizado, definindo onde será gasto ou como será investido”, afirmou.

Assim, as crianças começam a entender que se gastarem todo o dinheiro nos primeiros dias da semana, ficarão sem nenhum valor para os demais dias. E ainda que se desejarem algo que exija uma quantidade maior de dinheiro para ser adquirido, possam ser ensinados sobre como economizar para que consigam, em determinado tempo, juntar os recursos suficientes. 

“Ensinar a poupar para um curto período de tempo ou por um prazo mais longo vai criar a consciência nas crianças de que tudo se alcança com planejamento e metas. Elas vão perceber que precisam guardar recursos financeiros para consumir algo desejado mais para frente. Mas os pais precisam estar juntos dando o exemplo, mostrando que é assim que a família se organiza no orçamento doméstico, definindo os gastos em alimentação, moradia, educação, lazer, entre outros”, destaca Rocha.

Evidenciar que tudo se trata de uma escolha é outra lição que vai ajudar os pequenos a encontrarem justificativas para as suas decisões financeiras. “Temos que compartilhar com os filhos que não é possível fazer tudo o que queremos, mas que podemos escolher o que desejamos para o presente e o futuro. Abrir uma poupança para a criança acompanhar os rendimentos mensais e ajudá-la a fazer planos é uma lição preciosa para o seu futuro e um super presente para o Dia das Crianças”, salientou Rocha.

Compartilhe: